Total de visualizações de página

Meus livros de Magia Astrológica no link

sábado, 13 de agosto de 2016

A Chave de Salomão e o círculo mágico - aos estudiosos da magia cerimonial e aos magos



A construção do Círculo Magistico
A edificação do circulo mágico dentro da base e raiz magistica, serve para proteger o mago, assim também projetando e aumentando a potencialização do executor, local onde podemos nos comunicar com outro plano, o refugio dos invocantes e o lugar apropriado para os espíritos serem chamados e donde ordens e respostas são alcançadas por tal incumbência. Existem muitas formas de se manifestar círculos magisticos, cada tradição tem a sua receitas, porem o que poucos sabem e de onde se originou, uma fonte certa original aqui será retratada.

Os círculos podem ser feitos de farinha, pólvora, pedras, penas, sal, mercúrio, metal que é usado em muitas sociedades secretas ou mesmo de papel, como aqui será feito. Na chave de Salomão o circulo deve ser traçado com uma corda de 3 metros amarrada em um punhal ou athame da Arte, como que com um compasso, e mais dois círculo interno com 36 cm de diferença entre o outro, utilizando a recitação de uma oração e invocação, as Chaves colocam os Salmos II, LIV, CXIII, LXVII e LXVIII, cada escola ou tradição possui a sua, apesar de suas diferença o principio magistico prevalece. Usando a letra TAU do hebraico desenhada em cada ponto cardeal, do circulo interno, e no externo: Leste ALH que é Eloah Sul IHVH que é Tetragrammaton Oeste AHIH que é Eheieh Norte ALVIN que é Elion Outros nomes e símbolos podem ser utilizados desde de que respeite a hierarquia elemental das Torres e Pontos em questão, podendo ser utilizados os nomes da quadratura do circulo magistico que são: Leste AL (El) Sul IH (Yah) Oeste AGLA (Agla) Norte ADNI (Adonay).

Já que a descrição do circulo de Salomão utiliza a quadratura na maioria dos manuscritos que o Arsenal de Paris possue o mesmo principio, mesmo que se manifeste algumas variações. Dentro do circulo se deve levar em conta a direção de movimento, mediante a Obra do mago, em outras palavras movimentos horários positivos.

O ar deve ser purificado devidamente, antes de entrar no circulo, ou de qualquer inicio do rito. Seria acertado consultar algumas obras em relação a tais ritos, que sejam da mesma corrente como o Lemegeton, Grande Grimório ou mesmo o testamento de Salomão. Rito de Conjuração do Circulo. O rito de conjuração tem como finalidade a eliminação de interferências de entidades alheias ao rito que será empregado.

Sempre me lembro nos meus ritos, em apenas convidar as entidades desejadas, a elevação de um porteiro e muito importante, para impedir qualquer penetra que com a sua presença, estragarem o ritual, ou mesmo nos confundindo para nos levar ao erro, o que é mais comum que as pessoas pensam, já que a maioria absoluta e completamente incapaz de entender em profundidade o que realmente esta pedido.

As Chaves de Salomão nos dá vários banimento, colocarei dois abaixo, para poder contribuir com o caminho de cada um. Quando entramos aqui, chamamos com humildade, para que ao penetrar este circulo, o Deus Todo Podereso, conceda o prazer Divino, a prosperidade e a alegria, a caridade e a consideração. Que os anjos da Paz, possam ajudar a defender este circulo, que a discórdia desapareça dele! Com o sacerdote, mago, mestre, humildemente ajoelhado dentro do circulo, recita a consagração do circulo. “ Oh Terra ! Eu vos conjuro, pelo mais sagrado dos nomes, ASHER EHEIEH, com este arco, feito pelas minhas mãos!” “ Oh, Senhor nosso Deus, o Mais Poderoso e o Mais Clemente, vós que não desejais a morte do pecador, mas sim que ele se renegue o seu mal e continue a viver; dai-nos a vossa bênção e consagrai este circulo e este solo, que está aqui descrito e que contém o Mais Poderoso e Divinos Nomes.”

Você pode adaptar e criar o seu, utilizar da sua forma, perante as suas crenças, tradições ou dogmas magisticos, a grande maioria da magia Ocidental, tem como fundamento  as Chaves de Salomão, sendo está clássica ou a “neo-magia” que hoje se manifesta. A polaridade em relação aos deuses deve ser respeitada em relação aos quadrantes, porém permitindo-se a relação ampla dos Deuses principais a serem manifestados, isto é podendo ser uma Deusa, Deus, Casal Divino ou mesmo uma Trindade desde de que respeita a real associação dos mesmos. Virado para o Leste o mago/sacerdote munido dos necessários objetos da arte magistica em questão costurados na sua veste apropriada da arte, invoca a hierarquia, entidade ou Deus que será o fundamento do rito............. O objetivo aqui e que cada um manifeste a sua operação magistica mediante a tradição de cada. Já que os trabalhos clássicos existentes somente se tornam possíveis após muitos anos de praticas e realizações na área. Para um iniciante ou mesmo muitos “sacerdotes” e “magos”, varias praticas são inoperantes na maioria absoluta dos praticantes, não que não funcione, mas, porque a maioria não entende ou não tem energia o suficiente pra acessar tais poderes. Além disso, muitos não tem o dom da magia pra tal feito. Tem se aqui apenas uma pequena contribuição a ser somada pelos que assim desejam, e com espírito de um verdadeiro buscador, empreender o seu caminho realizador pessoal magistico.

Na magistica de Umbanda, o circulo também poderá ser montado, sem ser somente com as chaves de Salomão (mas, sempre temos os conhecimentos dos grimórios como base), mas, usando o poder do verbo contido no axé dos orixás. Riscando as palavras sagradas dos mantras dos elementais mágicos da natureza. No entanto este é um segredo para os grandes magos, e nem todo mago poderá fazer com sucesso este ritual. Por isso prudência acima de tudo. E por isso também dediquei um bom tempo, lendo, relendo e interpretando diversos grimórios, para aprimorar e firmar uma nova versão, das Clavículas de Salomão - tanto pra que se torne mais fácil de compreender, como com novas informações indéditas, inclusive para os praticantes da Wicca, magia astrológica, magia sexual e cabalistas que invocam os anjos do Senhor ou mesmo magos que evocam forças sobrenaturais. Assim buscamos interpretar os pantáculos e chaves, pelo prisma da magia astrológica.

Compre já seu exemplar, você que é amante da magia e da arte da ritualistica cerimonial sagrada. Compre seu exemplar aqui e se delicie com a leitura desse magnífico grimório: Peça o seu aqui...

 Ou peça aqui também...

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

Em breve, meu livro sobre a magia de Salomão estará nas livrarias

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Existe perigo no uso da Magia das Clavicolas de Salomão?



Perigoso para os leigos e para os de intenções ruins


A Clavícula de Salomão Apesar de ser atribuído ao rei Salomão - que, segundo o folclore judaico, tinha o poder de controlar os demônios do céu, da terra e do inferno - ja para outros, o texto da Clavícula não tem nada a ver com o legendário soberano judeu. Eu também tinha essa opinião sobre ela de que era apenas um livro inventado sem a menor importância. Porém, ao trabalhar numa releitura de suas edições, nesse livro que lancei em 2016, percebe que as Clavículas são mais poderosas do que se pensa e é a fonte de muitos outros grimórios e círculos de magias ao longo da historia.

De acordo com os filólogos que estudaram a composição do texto, ele deve ter sido escrito por volta do sec. XII d.C., provavelmente na região do Império Bizantino, que herdou boa parte do conhecimento clássico e helenístico, inclusive no que se refere ao esoterismo. Como todos os tratados de magia medieval, a Clavícula descreve um procedimento ritualístico bastante complexo, com a utilização de toda uma parafernália cerimonial de robes, pantáculos, amuletos e talismãs, que devem ser confeccionados seguindo à risca as precisas instruções contidas em cada capítulo. E nessa versão que esrevi e trago ao caro leitor, pela Editora Anubis, foco realmente na magia astrológica e no momento mais adequado pra formar esses pantáculos e talismãs de poder.

E no que se refere a data, eu não concordo com os filógos, pois percebi ao estudar as Clavículas, que ela é bem mais antiga do que se pensa, tendo grande parte vinda da época de Salomão, mas, provavelmente foram redigidos textos complementares e colocados em órdem talvez por volta do século um da era cristã. Já o século XII, citado pelos pesquisadores, pode ter sido a data de seu ressurgimento.

Pode-se dizer o que for dos rituais seguidos pelos magos medievais, por exemplo, dizer que eles são práticos ou fáceis de compreender ou usá-los. Mas, a verdade, é que eles não são pra qualquer pessoa comprender, sem uma boa aplicação. Além disso, é necessário dom, vogação e trabalho para desenvolver esse conhecimento. E não ajudam nada as constantes advertências de que o menor erro pode fazer com que a alma do mago seja arrastada para o inferno pelas entidades que ele imprudentemente evocar. Mas não há motivo para susto. A razão pela qual a magia cerimonial antiga é tão abstrusa é a necessidade de mobilizar e canalizar as forças da imaginação, que são, afinal de contas, o único instrumento realmente necessário para a prática da magia. No entanto, sabemos bem que nas Chaves de Salomão, além da força mental, forças espirituais, muito fortes, trabalham nessas correntes de magias evocadas. Portanto, antes de mexer nessa fonte de poder, o mago ou iniciante, precisa se preparar muito e não mexer naquilo que não sabe.
https://www.zoom.com.br/livros/as-claviculas-de-salomao-as-sagradas-magias-cerimoniais-do-rei-lima-carlinhos-9788567855400

Todo o aparato que o mago é instruído a fabricar tem um significado acima de tudo simbólico, e espera-se que as dificuldades que ele vai encontrar ao fazê-los sejam suficientes para direcionar sua vontade em direção ao objetivo. Já no Renascimento, os criadores do que se tornou conhecido como magia hermética, compreenderam que uma capacidade de visualização bem-desenvolvida pode substituir com proveito essa tralha toda.

A Golden Dawn aprofundou ainda mais essa trilha do uso mágico da imaginação, que consiste na visualização de símbolos e interação com eles em uma esfera puramente psíquica (o astral, como se costuma dizer). E AOS pare e a magia do caos levaram a tendência a seu limite extremo, substituindo até o simbolismo tradicional por símbolos e imagens que fossem eficientes e adequados à psicologia individual de cada mago. Uma versão contemporânea da magia de Salomão que, embora eu não tenha testado na prática, me pareceu bem interessante e vale pelo menos uma olhada, apesar das horrendas ilustrações.

E assim como na Wica em que apenas poucas bruxas que tem um alto grau de mediunidade limpa, consegue extrair encantos lindos de magias cerimoniais iluminadas. Apenas uma minoria ou quase nenhuma fada consegue esses efeitos positivos nas cerimonias que utilizam Egregoras e circulos magisticos. Porque a maioria dos magos se deixam dominar pelo ego e pelos desejos. Então, em especial para os curiosos que querem tentar testar as forças espirituais, ou que de má fé tenta usar os códigos mágicos pra fazer mal as pessoas, é muito bom ter cuidado, pois podem ser punidos. Já para quem tem o dom e quer estudar com seriedade, podemos ver que as Clavículas, traz mensagens fantásticas e conhecimentos secretos.

Na Umbanda, quando se atinge o grau de Mago Branco trabalhando por auxilio e por regra da Filosofia dos orixas elevados, se opera coisas muito mais eficientes e beneficas. Mas, se forem feitas observadas as Leis da Tradição e usando a Lei de Pemba e grafia Sagrada dos Orixas, mesclada com a Magia Mantrica.

Compre a minha versão das Clavículas e se depare com muitas informações novas, releituras e complementos inéditos bem exclusivos. Compre e você vai gostar muito. Peça o seu aqui...

Carlinhos Lima - Astrologica, Tarologo e Pesquisador.

domingo, 7 de agosto de 2016

A força do Ascendente e orixá de Frente - identifique o seu

A força do Ascendente e orixá de Frente - identifique o seu
A força do Ascendente e orixá de Frente - identifique o seu

O poder e expressão dos signos e orixás


Áries – Com a energia de Marte, a força de Ogum. Dependendo da posição de Marte no mapa, essa pessoa terá um Ogum mais ou menos agressivo. Também dependerá das configurações, ou seja, aspectos ao Ascendente e a Marte, como  também se o Sol dessa pessoa, juntamente com a Lua é forte ou é fracaa. O primeiro contato desse ser é esfuziante. Áries pode parecer meio espaçoso, apertando sua mão com força ou abraçando com alguma intimidade. Alegre e falante, não tem cerimônia e faz você se sentir bem à vontade. Meio estabanado, tropeça e fala alto.

Touro – Com a força de Oxóssi. Também dependerá da posição de Vênus e os aspectos que este recebe dos outros planetas, da casa em que ele está posicionado e o signo que ele transita. O primeiro contato é elegante. Touro se apresenta de um modo meio lento e, aos poucos, vai se sentindo confiante. É atraente e delicado, discreto. É melhor você ir adiantando a conversa ou o taurino vai continuar se escondendo por trás de certa timidez.

Gêmeos – Com a força de Ibêjis de frente. Também dependendo da posição de Mercúrio e os apectos da carta natal. O primeiro contato é alegre. Gêmeos comenta sobre o tempo, a novela, a política… Bem humorado, faz você rir e ter a impressão que já o conhece há tempos. Vai fazer mil perguntas e adorar qualquer resposta que você dê! Tem jeito de estudante ou cara de professor.

Câncer – Com Iemanjá de frente. Dependendo ainda da posição da Lua e dos aspectos que a envolve na carta natal. O primeiro contato é afetuoso. Câncer abraça, chama de modo carinhoso e faz elogios. Você está diante de alguém com quem se sente à vontade. Vai pedir água ou cafezinho ou até oferecer para pegar ou fazer. É alguém que parece ser “da família” desde o primeiro momento.

Leão – Com a força de Oxalá. Dependendo da posição do Sol e dos aspectos relacionados a ele e ao Ascendente. O primeiro contato é majestoso. Leão se apresenta de modo imponente, com um porte que tem algo de nobre. Bem vestido, fazendo o gênero clássico, um jeitão de superioridade. Não vai falar muito, mas você vai recordar esse primeiro encontro por um bom tempo.

Virgem – Com Ewá, Ossaím, Obá ou Exú. Dependendo da posição de Mercúrio, um desses orixás poderá se apresentar de frente. Assim como nos signos anteriores, que também há outras opções, dependendo dos odús e da soma geral da carta de uma pessoa. Por isso, é importante observar além do Ascendente, pra ver qual é o orixá de frente de  uma pessoa. O primeiro contato é desconfiado. Virgem se apresenta lentamente, precisando de tempo para confiar e se sentir à vontade. Você terá a impressão que está sendo estudado, minuciosamente avaliado. Não é só impressão, é a verdade. Usa óculos e tem jeito de estudante.

Libra – Com a Força de Oxum. Observa-se também a posição de Vênus e aspectos envolvendo Ascendente, Sol e Lua. O primeiro contato é gracioso. Libra se apresenta com sorrisos e elogios. Você se encanta de modo natural. Elegante, gentil, educado, cheio de boas maneiras, sutilmente irresistível e, assim, o libriano entrou em sua vida!

Escorpião – Com a força de Oxumaré. Observando a posição primeira de Plutão e em seguida de Marte. Também os apectos e posições desses astros. O primeiro contato é intenso. Você não consegue descrever o que sentiu no primeiro olhar. Desconforto? Sedução? Só vai conseguir dizer que era um olhar profundo e que você ficou desconcertado. E precisou de tempo para o escorpião se abrir de verdade.

Sagitário – Com a força de Xangô. Mas, para outros podemos detectar Iansã, lembrando de observarmos claro, carta para um homem de uma forma e de uma mulher de outra maneira. Observa-se também a posição de Júpiter e seus aspectos no mapa. O primeiro contato é vibrante. Energia quente e positiva. Alguém que ocupa espaço rapidamente, fala bastante e olha direto nos seus olhos se expressando com sinceridade. Impactante, é muito estabanado e, às vezes, pode até cair sobre você.

Capricórnio – Com a força de Obaluaê ou Omulú. Observa-se a posição e envolvimentos de Saturno. Que também pode nos revelar Nanã, Iroko (que também pode se apresentar em Libra ou Virgem - dependendo da posição das casas e signos). O primeiro contato é cerimonioso. Capricórnio vai precisar de tempo para se revelar por completo. É educado e vai responder a tudo o que você perguntar. Discreto, bem vestido, previsível em palavras e atitudes… até que se sinta realmente seguro.

Aquário – Com a força de Orumilá, Odudwa ou mesmo Iansã e até Exu, dependendo da posição de Urano e seu envolvimento. O primeiro contato é simpático. Aquário é curioso e animado. Vai atropelar você com muitas perguntas e observações. Pode tirar o celular do bolso e mostrar algo interessante. Um furacão entrou em sua vida, um vento refrescante, mas que faz bastante barulho.

Peixes – Com a força de Olonkum. Também podendo apresentar Nanã, Iansã, Iemanjá e até Oxum ou Obá, dependendo da posição de Netuno, Lua e demais configurações por casa e aspectos. O primeiro contato é suave. Peixes se apresenta languidamente. Uma sereia, um elfo, um ser encantado. Olhos penetrantes e cheios de compreensão. Uma timidez simpática, risonha, esperando que você dê o primeiro passo e fale as primeiras palavras. Aí, então, o pisciano se revela.

Pra entender melhor esses conceitos de Umbanda Astrológicas, leia o livro OS SENHORES DO DESTINO - Compre seu livro aqui... últimos exemplares... 

E aos estudantes de magia, já está disponível meu segundo livro que trata da magia sagrada do Rei Salomão: Peça já seu exemplar aqui e estude novas informações inéditas. Peça o seu já...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores